sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

O meu novo blog "Era uma vez..."

E pronto, no dia do fim do mundo que não é mais do que o inicio de uma nova era, apresento-vos o meu mais recente bebé: http://eraumavezomeusonho.blogspot.pt

O Era uma vez... vem substituir o blog dos pequenos nadas. Gostaria muito que fossem espreitar o projeto ainda muito bebé e que estivessem atentos às novidades que vão ser algumas. O Era uma vez... é a continuação do meu sonho. Quem sabe também dos vossos? Espero por vocês lá. Foi bom estar por aqui!

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

THE END

Pensei imenso antes de escrever este post. Mas este THE END não é simplesmente um fim. É como o fim do mundo. Apenas o começo de um novo ciclo. Quase 4 anos e meio depois e quase 17.500 visitantes depois, chegou a hora de encerrar este blog e começar outro. Qual a razão de terminar este pergunta quem me vê?

E vou ser muito sincera. Falta de interesse. Falta de coisas interessantes sobre a minha vida que vos possam interessar. Na verdade acho a minha vida muito interessante mas é para mim não para as outras pessoas, por isso acho que não faz sentido continuar um blog onde, simplesmente pelo gosto da escrita, falo sobre mim e sobre as minhas coisas. 

Mas, quem ainda me lê sabe que eu não consigo ficar sem escrever. Por isso, obviamente que vou continuar a escrever para quem me quiser ler. Onde? No inicio do ano saberão. Tenciono fazer algo um pouco diferente deste. Talvez um pouco mais interessante, espero eu. Vamos lá ver. Este blog vai-se manter aberto porque há muito de mim aqui que gosto de ler pessoalmente.

Assim e deste modo me despeço com um ATÉ BREVE!!!

Feliz Natal e Feliz Ano Novo para TODOS!!!


quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Eu na Sociedade Civil (post atrasado)

Pois é... imperdoável. Mais uma falha aqui do blog. Gostei tanto mas tanto, mas tanto de ir a este programa. Foi uma conversa agradabilissima, que por mim podia durar horas que eu não me cansava.

Adorei mesmo... Podem convidar-me outra vez! :)



Eu na Praça da Alegria (post atrasado)

Então não é que ainda não tinha partilhado aqui a minha aparição no programa da Praça da Alegria???!!! Que enorme GAFE.

Aqui vai o video da partilha com os meus pipocas mais lindos a falar da Associação Gémeos e Mais que presido.





terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Festa de Natal dos miudos

E ontem foi o tão aguardado lanche de Natal e peça de teatro dos pais. Os miudos não estavam nem aí. Não faziam mesmo a menor ideia do que lhes aguardava. Nós os pais aguardavamos ansiosos a estreia. Era a primeira vez que pisávamos uma especie de palco, se não para todos, para a grande maioria. Com os ensaios conheci pessoas fantásticas, simpáticas e divertidas. Algumas pessoas que eu já conhecia desde o ano passado mas que nunca tinha tido oportunidade de trocar mais do que 2 palavras e talvez por isso não me enchiam as medidas. Afinal não podemos tirar conclusões sem conhecermos as pessoas não é? Na verdade, não vou dizer que já conheço toda a gente lindamente. Não é isso. Mas admito perfeitamente que o facto de termos feito o teatro nos aproximou muito. Os ensaios foram de chorar a rir e na altura, apesar de estarmos todos muito nervosos :), divertimo-nos imenso. Agora que passou, confesso que gostava mesmo muito de voltar a fazer algo com estes pais e quem sabe não repetimos a experiencia. Afinal de contas, se tudo correr bem os nossos filhos vão ser colegas ainda por alguns bons anos. Oportunidades não nos vão faltar. Este grupo para mim, que adoro todas estas envolventes, foi uma agradável surpresa. Parabéns a todos eles, que sabem quem são.

Excusado será dizer que os nossos filhos adoraram!!!!!!!

Parabéns a mim! 38 anos já cá cantam!

E no domingo completei 38 invernos. Eu não sou de fazer festas de aniversário. Acho que a ultima vez que fiz uma festa foi há uns 15 anos talvez. Não sei porquê nunca gostei. Tinha sempre demasiadas expectativas acho e depois ficava desiludida. Apanhei umas quantas desilusões até que deixei-me de festas. Continuei a fazer jantarinhos com a familia e pouco mais. Cheguei a ir passar o meu aniversário com a minha amiga C ao Brasil, só as duas na P*** da loucura. Cheguei a ir passar o meu aniversário à Amsterdão numa especie de lua de mel com o meu amor, depois da minha operação à cabeça. E depois nasceram os meus pipoquinhas e o meu aniversário passou a ter uma vertente infantil. Continuei a reunir a familia para um jantar normalmente e o que interessava era que estivessemos todos juntos. Há 3 anos não consegui passar com o meu amor pk estava em trabalho e outro ano, não estiveram os meus pais presentes neste dia. E eu, que já não gostava especialmente deste dia, apesar de não o ter demonstrado, fiquei triste nesses anos. Ainda com mais nostalgia que o habitual.

Este ano sentia qualquer coisa diferente. Andava a passar uma fase feliz e estava a apetecer-me comemorar o meu aniversário. Ainda para mais porque é raro calhar ao fim de semana e desta vez calhou ser num domingo. Nada melhor que fazer um almoçarada. Convidei a familia mais proxima, convidei os meus padrinhos que adoro e que já não participavam nestas festas há mais de 20 anos devido a zangas que felizmente os meus pais e os meus padrinhos estão finalmente a conseguir ultrapassar. E convidei as minhas 3 melhores amigas, a C, a R e a H. Infelizmente a H não conseguiu vir devido a uma amigdalite de ultima hora e também convidei um casal nosso amigo que nos damos muito bem mas que também não pode vir por razões económicas. Resolvi fazer o almoço num restaurante muito familiar perto de nós, o Beija U Boi em que os donos, logo no primeiro dia que fomos lá nos trataram como se pertencessemos à familia.

E assim foi, o almoço foi girissimo. Tive a maior prenda que podia querer que foi a presença de todos os que me são queridos (faltaram os que não puderam vir mas que compreendo). E ainda tive uma outra prenda que me encheu o coração. A minha amiga R que vai ter um Francisquinho em Março, convidou-me para ser madrinha dele. Eu e ela temos uma história juntas, um pacto muito nosso que nos vai juntar para sempre, mesmo que por vezes, como toda a gente, possamos ter as nossas divergencias. Quando os meus meninos nasceram, infelizmente estavamos num periodo de divergencias e ela não participou como gostaria nem como eu gostaria que ela tivesse participado. Não é madrinha dos meus filhos porque decidimos que seriam os nossos irmãos mas ela sabe que das duas uma, se eu me voltar a casar, é ela que eu quero que esteja do meu lado e se Deus quiser que eu tenha mais algum filho, também será ela a madrinha. (o mais provavel é mesmo o casar porque o filho é só mesmo se Deus quiser muito. :)) De qualquer maneira, ela mesmo não sendo madrinha deles, sei que tem um amor muito especial também pelos meus filhos e isso vale tudo.

Portanto foi um dia muito especial mesmo para mim que me deixou o coração a transbordar de felicidade. 

Podia ter sido perfeito, não fosse uma pequenina desavença com o meu amor na noite anterior, que não vou falar disso aqui porque simplesmente nem vale a pena. É mesmo melhor esquecer, esquecer, esquecer... faz de conta que não fomos jantar mesmo... enfim... sem comentários.

PARABÉNS A MIM ora pois!!!!

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Ser feliz

Hoje estou feliz! Melhor... há uns tempos que ando feliz... :) Há vários posts atrás eu comentava aqui que a felicidade não era um estado mas sim um sentimento. As pessoas que dizer eu sou feliz tenho a certeza absoluta que não o são todos os dias por isso quando me perguntam se sou feliz eu nunca respondo. Respondo sim, que "estou feliz" ou "não estou feliz", completamente diferente do estado de "ser".

E nos ultimos meses eu tenho estado feliz. Claro que a vida não é perfeita e tenho tido algumas arrelias valentes que me deixam para lá de desgostosa, mas mas o "estar feliz" tem-se sempre sobreposto. 

Ontem ao telefone a minha mãe perguntou-me, como aliás me pergunta todos os dias, como é que estão os miudos. Eu respondi como respondo sempre: "andam felizes e contentes". Ao responder isto, apercebi-me que era a minha resposta desde há alguns meses. E acrescentei. "É tão bom poder dizer isto". Quem conhece o que passámos em anos anteriores, com doenças, com a adaptação à escola, sabe bem a que me refiro. Tem sido uma diferença do dia para a noite. Óbvio que já tivemos visitas das senhoras ites, viroses e afins e a tosse continua a ser presença habitual nas nossas noites mas ainda assim, uma diferença brutal, a qual eu até tenho medo de me vanglorear. E isto tem se refletido em tudo. Não faltam à escola e por isso estão adorar tudo relacionado com a escola, os amigos. Adoram aprender, estão com imensa curiosidade sobre o mundo que os rodeia. Estão divertidos, apaixonados, sociaveis, lindos e espertos. Estão carinhosos, malandros, enfim, absolutamente fantásticos. E esse facto torna-me, torna-nos com um sentimento de felicidade inexplicável. Dá gosto olhar para eles e perceber o quão crescidos estão e que todo o trabalho que tivemos e temos vale imenso a pena. E eu adoro o que temos, a familia que temos com todos os pontos altos e baixos. É a minha familia e sim.... posso dizer. Eu estou feliz!

PS: para ser felicidade redobrada só falta resolver uma pequena questão profissional.... quem sabe um dia!

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Conto Ninguém dá Prendas ao Pai Natal

Como referi num post anterior, meti-me em mais uma aventura, desta vez na escola dos meus miudos. A educadora sugeriu aos pais que este ano fossem eles a surpreender as crianças, cantando uma canção, fazendo um teatro, o que quisessemos. Assim foi, metade dos pais da turma aderiram e escolhemos este conto de Natal para elaborar a peça de teatro. Começamos um pouco a medo, muito timidos pois a s unicas vezes que nos tinhamos cruzado tinha sido nas reuniões de pais em que pouco falamos mas aos poucos, depois de várias trocas de emails, apercebemo-nos que havia ali um grupo mesmo muito engraçado. O gelo quebrou-se e ontem tivemos o nosso primeiro e unico ensaio geral da peça de teatro. Assim a modos que à pressa ainda gravamos uma canção para aparecermos na televisão antes do teatro, pois o guião assim o exigia e depois começámos os ensaios. A educadora só se ria pois dizia que pareciamos uns miudos a mostrar o que tinhamos levado de vestimentas para a caracterização e mal imaginava ela o que se seguia. Gargalhadas, teatralidades, imprevistos, improvisos. Demais! Cada um encarnou a sua personagem o mais possivel e fez de um texto à partida super simples, um texto cómico e entusiasmante. Estou desejosa da nossa estreia e de ver a cara dos miudos quando aparecermos no palco. E a coisa correu tão, mas tão bem que não me admira que este seja o primeiro de muitas peças de teatro, musicas e assim que iremos proporcionar aos nossos filhos. Vontade não nos falta! Agora é esperar por 2ª feira e esperar que corra tão bem ou melhor do que o ensaio. :)