sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Wish List para o ano 2012

E como não podia deixar de ser, todos os anos deixo aqui reflectidos os meus desejos para o proximo ano.

Este ano não vai ser excepção e o meu desejo fundamental para 2012 vai ser apenas um: SAUDE! Saude para todos os que me rodeiam, saude aos molhos porque haja saude e tudo o resto se faz.

De resto, desejo obviamente que o negócio do meu xuxu continue cheio de prosperidade e que cresça ainda mais. Espero que ele não tenha medo de o fazer crescer pois eu acredito no projecto dele e acredito que pode ser o NOSSO futuro. Sinceramente.

Desejo que o nosso grupinho de mães e pais de gémeos criado agora no final de Dezembro seja um grupo unido nos seus objectivos e que juntos consigamos chegar onde até agora ninguém chegou e que a Associação Gémeos e Mais constituida por esse grupinho seja uma associação importante e de referencia no futuro. É para lá que caminhamos. 

Desejo, apesar da crise, continuar a desempenhar as minhas funções com o profissionalismo desejado no meu emprego pois preciso do dinheirinho que ele me dá e que continue a ter tempo para estas coisas que me realizam pessoalmente. Se não for pedir muito, gostava ainda de ter ainda mais tempo para a minha familia. Os meus filhos estão a passar uma fase linda e maravilhosa e doi-me o coração de não os poder acompanhar como desejava. É esse sentimento que me dá força para lutar na Associação. Porque acredito que o nosso país não está decididamente no melhor caminho para sustentar a qualidade de vida familiar, bem pelo contrário e se não existirem pessoas como nós a dar luta, não tarda muito os nossos filhos crescem sozinhos sem familia porque a familia esta demasiado ocupada a trabalhar para os poder sustentar. A minha luta é esta. Porque quero viver os meus filhos.

E o ano novo está prestes a despontar

2011 passou. Que grande ano foi este. Foi um ano de grandes mudanças, alguns desafios, coisas boas, coisas menos boas. E já passou... bolas... houve alturas em que achei que o tempo não passava e de repente, já estamos quase, quase no final do ano. Em jeito de situação, posso dizer que até foi um bom ano este. O meu xuxuzinho, apesar da crise conseguiu arranjar clientes para a sua empresa e o negócio vai de vento em popa. Conseguimos vender a casa, num esquema um bocado marado é certo, mas está vendida que é o que interessa. Fizemos umas grandes obras na nossa antiga casa de férias e mudamo-nos de armas e bagagens para lá. Certo que foram obras de santa engrácia e que muita coisa não ficou ao nosso gosto, mas também o que interessa no final é que estamos lá a viver e muito bem. Os meninos sairam da escola antiga, tiveram umas big férias e começaram numa escola nova. Escola essa que gostam bastante, apesar de continuaram a preferir estar em casa. Nunca vi crianças de 4 anos tão caseiras como as minhas. O meu trabalho também cá anda, com altos e baixos como em quase todas as empresas, mas eu cá ando a esforçar-me para o manter. O meu negócio de fotografia também está a correr bem e podia correr melhor mas quando o meu xuxu me faz um ultimatum e diz ou as fotografias ou nós, eu tenho de escolher os meus três meninos (2 pequenos e 1 grande), e escolho de coração porque também o desejo. Se tenho pena de não fotografar mais. Sim, tenho mas também adoro estar com a minha familia por isso nem se compara. E continuo a fazer uns trabalhinhos quando me pedem muito por isso o bichinho continua a estar satisfeito. Como sou miuda de não parar, meti-me de cabeça nos grupos de Gémeos. Fiz um portal para Gémeos e Mais www.gemeosemais.com com a ajuda da Marta, uma amiga/mãe de gémeos/emigrante que tem tido uma participação fundamental na concretização dos nossos desejos, montámos uma loja com produtos alusivos a nossa marca e logotipo já registado, e ainda conseguimos arranjar um grupo de mães e pais para se juntarem a nós para concretizarmos mais um dos nossos objectivos já no inicio de 2012. Ainda não foi este ano que o meu livro saiu da gaveta, rescidi com a minha antiga editora mas já arranjei outra. E agora só depende de mim coloca-lo cá fora. Como estamos a preparar a grande novidade do ano 2012, achei por bem apontar a saida do livro para essa altura.

Em termos de amizades também foi um ano cheio de emoções. Em Maio tive a noticia arrebatadora que o meu amigo Patrick se tinha suicidado. Uma situação incompreensivel para mim e para muitos de nós. Os pais ficaram desolados e os amigos mais chegados nem se fala. Apesar de eu ja nao ser uma amiga muito chegada, não pude deixar de relembrar os bons momentos que passámos no passado e isso fez com que amizades do passado que por uma razão ou outra se tinham afastado, ganhassem algum novo folego. Por mais que a vida passe e cada um de nós construa a sua vida por caminhos diversos nunca nos vamos esquecer das pessoas que tiveram um papel importante na nossa infancia, adolescencia e que no fundo cresceram connosco. Eu percebi isso e sei que mais pessoas perceberam isso, naquela altura. E sei que apesar de não falarmos com todas essas pessoas do passado frequentemente, elas vão estar presentes e estão presentes se um dia precisarmos. O Patrick não sabia isto de certeza. 

Tristezas à parte, também ganhei novas amizades. A Marta foi uma amizade deste ano e que boa amizade. Mesmo longe, muito longe, mesmo ainda sem a conhecer pessoalmente, conheço-a melhor que muitas pessoas que conheço fisicamente. A Salomé com uma força interior como há poucas pessoas, uma pessoa que mesmo estando em Coimbra e não a conhecendo pessoalmente está sempre presente para uma palavra amiga em todos os momentos. E outras que aos poucos vão conquistando o seu terreno e por isso mesmo contamos que tenham um papel fundamental no proximo ano. Todos com um ponto em comum. Gémeos. 

Resumindo, este ano foi um ano de consolidação. Percebi que não interessa ter muitos amigos ou pessoas que se dizem nossas amigas mas que aqueles que são nossos amigos estão lá quando precisamos. Percebi que não precisamos de ver ou falar com os nossos amigos diariamente. Um amigo verdadeiro quando falamos com ele, falamos sempre como se o tivessemos visto ontem. Percebi que há amizades que começam virtualmente mas que se dermos oportunidade a elas, podem ser muito mais que amizades virtuais. Percebi que amigos, amigos, negócios à parte. Misturar os dois é uma mistura explosiva e nunca mais o farei.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Natal em 2011

Detesto o mês de Dezembro. Mês de gripes e constipações. Não há um ano que passe o mês de Dezembro sem alguém doente. Desta vez correu toda a gente com excepção do meu xuxu. Amigdalites para os dois, mais uma virose para o Tiago, e uma amigdalite e crise de sinusite para mim, tudo no espaço de 3 semanas. Felizmente, no dia 24 estavamos todos bem o que foi um género de milagre de Natal E ainda bem, pois ao contrário do aniversário, cada vez gosto mais do Natal. Este ano foi o 1º ano que vi os meus filhos a vibrar com o Natal, com os presentes e com o Pai Natal. Contavam os dias que faltavam para o Pai Natal vir, fizeram os pedidos ao Pai Natal e andavam felicissimos com os preparativos. Como calhou a um sábado este ano, deu para fazer algumas coisas nas calmas. Fomos aos meus padrinhos e agora vizinhos desejar um bom Natal e saimos de lá cheios de prendas e fritos natalicios. Os miudos receberam uns relogios girissimos e uns gorros bem quentinhos, o meu xuxu um cachecol e eu um presepio de cristal. É o 1º ano desde há muito tempo que voltei a falar com os meus padrinhos. Desde que passámos a viver na Aroeira ao lado deles, têm sido novamente os padrinhos que foram para mim quando era pequena e melhor de tudo, estão a ser quase uns segundos padrinhos para os meus filhos que tb lhes chamam de padrinho e madrinha da mamã. Adoro os meus padrinhos e confesso que tinha imensas saudades deles. Só tenho pena que os meus pais e eles tenham deixado de se dar pois acho que se voltassem a dar ainda ficava mais contente. E eles estão cheios de vontade que isso aconteça mas o orgulho não tem deixado. Eu sei que o que se passou no passado deixou marcas mas caramba, já passou tanto tempo, todos demos a volta e nunca deixamos de gostar uns dos outros. A minha madrinha ainda fala com uma lagrima no olho quando me diz que foi a 1ª pessoa que me viu quando nasci pois teve sempre ao lado da minha mãe. Isto diz alguma coisa não diz.

Entretanto a meio da tarde começaram a chegar os avós e o fabuloso repasto. Foi uma animação. Foi uma noite excelente, das melhores noites de Natal dos ultimos tempos. Divertimo-nos imenso, conversámos, brincámos. O tio H desta vez fez de Pai Natal, mas o Tiago por pouco não lhe decsobriu o disfarce. Ou melhor, descobriu mas nós rapidamente inventámos que o H estava na casa de banho e que de facto aquele não era o verdadeiro Pai Natal mas sim um ajudante dele pois o Pai Natal andava muito atarefado a distribuir prendas aos meninso. Pouco convencido acabou por aceitar.

Chegada a altura das prendas, os reis, ou melhor os meus meninos, sentaram-se no puf e começaram a receber as prendas. Começamos pela prenda da Tia Ana que ia dar o que achavamos que eles iam adorar pois era aquilo porque tanto ansiavam. Um Gormiti da Água e o Gormiti da pedra. O Tiago foi o 1º a abrir a prenda dele, o Gormiti da Água. Os olhos brilharam quando viram. Chegou a vez do Diogo... quando abre a prenda dele, vê que nao era o Gormiti da pedra mas sim o Gormito da terra, um boneco horroroso maior do que o normal, pesadissimo fez uma birra do outro mundo. Coitadinho. Ficou tão triste, tão desiludido. Só lhe passou quando abriu a prenda do tio Pedro que ofereceu umas luvas de guarda redes e umas caneleiras para se poder vestir a rigor quando joga futebol. Nessa altura esqueceu o Gormiti e tudo o resto, só queria vestir as luvas para experimentar e diz em tom de certeza. Quando eu for grande quero ser jogador de futebol. :)

Cansados mas felizes, foram dormir. No dia seguinte, brincaram com os Gormitis, com e jogaram futebol vestidos a rigor. Os restantes brinquedos ficaram como eu calculava jogados a um canto pois queriam mesmo era continuar a brincar com os bonecos antigos.

Para nós o dia 25 foi extenuante. Subir e descer escadas umas 30 vezes pois é tudo muito bonito mas quem tem de arrumar a casa no final somos nós e agora com a sala grande de refeiçoes no 1º andar e a cozinha no r/c torna tudo muito mais cansativo. Foi um alivio chegar ao final do dia e sentarmo-nos no sofá.

Quanto ás prendas que o Pai Natal me deu:

- Maquina Fotografica de bolso exactamente como tinha pedido: Checked
- Soutiens: 1 Checked
- Camisa de noite: Not Checked, em vez disso 1 pijama - tb é bom

De resto, mais duas camisolas bem giras e cuecas. O resto Not Checked. Continuo sem perfume.

Parabéns a mim

37

Dia 9 de Dezembro completei mais um aniversário. Que dizer deste dia? Há uns bons anos que deixei de ligar a este dia, não sei bem porquê, talvez porque sempre tive grandes expectativas e raramente se concretizavam. Os melhores aniversários foram passados fora do país. Porquê? Porque quanto mais não fosse, seria porque faria de certeza coisas diferentes e que ia lembrar para sempre. Quando os meus meninos nasceram, a ideia de passar fora do país esfumaçou-se pois nem pensar em passar os meus anos longe dos que mais amo. Eles não ligam muito ainda ao facto da mãe fazer anos mas é impensavel para mim, estar longe deles. Este ano, a treta foi ter de vir trabalhar no meu aniversário, coisa que não fazia há praticamente uns 10 anos ou mais. Não me lembro de vir trabalhar há muitos, muitos anos por isso deve ter sido há muito tempo.

Por isso o dia passou-se ainda mais normalmente e não fosse os parabéns recebidos pelo facebook nem me dava conta de fazer anos. O facebook tem coisas fantásticas e outras menos fantásticas. Pessoas que normalmente se esqueciam do meu aniversário, lembraram-se e outras que antigamente telefonavam, agora resolvem dar os parabéns pelo facebook. Mas não me posso queixar pois eu também faço o mesmo e o que interessa no final é que todas as pessoas que eu gostava que se lembrassem, lembraram-se de uma forma ou de outra. E isso sabe sempre bem!

O meu xuxu veio ter comigo ao almoço e refastelamo-nos com uma refeição excelente no restaurante Darwin. Adorei e foi excelente almoçar sozinha com ele. De noite, estivemos a jantar em familia como deve ser. Todos com muita saude coisa que uns dias antes teve tremido por causa de uma amigdalite que atacou os miudos. Jantámos num restaurante de petiscos que toda a gente adorou à excepçao do meu xuxu que gosta mais de petiscos gourmet. Terminámos a cantar os parabéns e a comer o melhor bolo de chocolate do mundo.

Que dizer mais? Foi um dia muito bem passado, excepção feita ao facto de ter de vir trabalhar. E haja saude nos proximos anos, vou ter aniversários cada vez melhores. :)

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Rubrica: Qual a musica que mais gostas? - Parte 1

Ultimamente quando estou no transito a ouvir uma das minhas radios favoritas, a Mega Hits, ponho-me a ouvir as musicas que passam e a pensar nas traduções delas. E verifiquei que há cada uma, pior que a outra. Se estiverem atentos, algumas musicas que fazem vibrar nas discos (digo eu que já há uns 6 anos que não vou a uma discoteca), são autenticas musicas pimba, apenas cantadas em inglês.

Eu gosto da Mega Hits, gosto. Mesmo com estas musiquinhas pimba, porque me fazem rir com as parvoices que dizem nas Mega Manhãs e porque sinto que assim me mantenho actual nas novidades musicais. Mas temos de admitir...que às vezes as musicas são mesmo muito más. E agora pergunto aos que gostam das que considero más. Será que não gostam de Tony Carreira, Micael Carreira ou Daniel Carreira? Ou Monica Sintra? Ou Agatha? Qual a diferença?

Assim vou iniciar aqui no blog uma rubrica Qual a musica que mais gostas? Vou colocar umas más, umas mesmo más, umas mais ou menos e umas mesmo boas, mas tudo actual. E vamos a votos... que tal. Gostas? Não gostas? Detestas? ehehe... Acho que vai ser giro.

E a primeira: Que eu acho má... MUITO MÁ! É esta:


Sexy And I Know It

When I walk on by, girls be looking like damn he fly
I pay to the beat, walking on the street with in my new lafreak, yeah
This is how I roll, animal print, pants out control,
It's real fool with the big F o
They like bruce lee rock at the club

Girl look at that body (x3)
I work out
Girl look at that body (x3)
I work out

When I walk in the spot, this is what I see
Everybody stops and they staring at me
I got passion in my pants and I ain't afraid to show it

I'm sexy and I know it (x2)

When I'm at the moss, purity just can't fight them up
When I'm at the beach, I'm in a speedo trying to tan my cheeks
This is how I roll, come on ladies it's time to go

We hit it to the bar, baby don't be nervous
No shows, no shirt, and I still get serviced

Girl look at that body (x3)
I work out
Girl look at that body (x3)
I work out

When I walk in the spot, this is what I see
Everybody stops and they staring at me
I got passion in my pants and I ain't afraid to show it

I'm sexy and I know it (x2)

I'M SEXY AND I KNOW IT...

Girl look at that body (x3)
I work out
Girl look at that body (x3)
I work out

 

Sou Sexy e Sei Disso

Quando eu passo, garotas olham e falam: caramba ele é estiloso
Eu faço por onde, andando pela rua com meu lafreak novo, yeah
É assim que eu mando, estampas de animais calças fora de controle,
É Red FOO, com FO maiúsculos
Eles gostam de rock Bruce Lee no clube

Garota, olhe aquele corpo (x3)
Eu malho
Garota, olhe aquele corpo (x3)
Eu malho

Quando eu chego no lugar, isto é o que eu vejo
Todo mundo pára e ficam me encarando
Eu tenho paixão em minhas calças e eu não tem medo de mostrá-la

Sou sexy e sei disso (x2)

Quando eu estou relaxando, a pureza não pode combatê-los
Quando estou na praia, eu estou de sunga tentando bronzear minhas bochechas
É assim que eu mando, venham damas, é hora de ir

Chegamos no bar, gata não fique nervosa
Sem exibição, sem camisa e eu ainda sou servido

Garota, olhe aquele corpo (x3)
Eu malho
Garota, olhe aquele corpo (x3)
Eu malho

Quando eu chego no lugar, isto é o que eu vejo
Todo mundo pára e ficam me encarando
Eu tenho paixão em minhas calças e eu não tem medo de mostrá-la

Sou sexy e sei disso (x2)

Sou sexy e sei disso...

Garota, olhe aquele corpo (x3)
Eu malho
Garota, olhe aquele corpo (x3)
Eu malho

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Querido Pai Natal

Tenho andado a dizer aos meus miudos que tu existes e que andas algures do Polo Norte e que vais trazer prendinhas no sapatinho para eles, se eles se portarem bem. Mas, já agora e como já deves ter ouvido falar, por aqui anda uma grande crise. Houve uns senhores que se lembraram de cortar nos subsidios de Natal e a malta agora tem de inventar uma forma de arranjar as coisinhas que gostava muito de ter. Como se não bastasse ainda vou fazer aninhos dia 9 de Dezembro por isso estive um ano à espera de receber prendas. Sendo assim, a lista é longa mas querido pai Natal... é tudo coisas que me fazem muita falta e queria tanto mas tanto ter... vê lá o que é que arranjas.

- maquina fotografica compacta cor de rosa Olympus VG 130: eu sei que tenho uma toda xpto mas essa é de trabalho. Passa-te pela cabeça o peso da máquina? Achas que é facil andar com uma daquelas no bolso? Tem dó. A conta disso tenho perdido imensos momentos das minhas crianças. E não está nada mal. Dentro do género até te arranjei uma das mais baratinhas. E sim... cor de rosa por favor. Eu até te digo onde podes comprar :)

- Pijaminha / camisa de noite com bonecos... sim sim... daqueles da disney girissimos mas um pormenor. Quero uma camisa de noite e umas calças de pijama. Percebeste? Em separado pois agora ando mto encalorada e nao quero dormir de calças. As calças sao mesmo só para andar em casa que sabes que é assim que eu ando. Very sexy

- Pantufinhas daquelas com bonecos tb oh faxavor. Daquelas bem farfalhudas e quentinhas, cheias de pelo por dentro. uso tanto que todos os anos tenho de te pedir umas novas. Até agora tens te safado bem...mas duram pouco... :)

- Casaquinho castanho de malha: uma coisa simples, básica mesmo... sim Helena esta é para ti, pode ser da tua boutique (boutique da Leny - passo a publicidade) se alguém se quiser chegar à frente fico mto agradecida se não lá vou eu ter de me armar em mae Natal

- Pulseirinhas desta loja Por um Fio. Pronto confesso, não resisti e já me armei em Mãe Natal mas tem coisas tão lindas que se quiserem oferecer mais uma ou outra coisinha não me faço de rogada.

- Botas da timberland... esta agora é da p*** da loucura... estão lá a acenar para mim faz tempo... lindas, lindas...pronto eu sei que estou a exagerar mas não custa tentar certo?

- Bués de soutiens 34 B, preciso de um preto, de um branco e outro como quiseres, colorido, as flores, às bolinhas whatever. Tem de ser é 34B e não preciso cá de push ups, sabes disso nao sabes, pai Natal? Podes ir lá espreitar a minha gaveta e vais ver os velhotes que tenho, todos rotos, uma vergonha... mas vê o modelo e é prenda com garantia

- Um workshop de maquilhagem: Gostava tanto de saber maquilhar-me da maneira como me puseram qd fui ao Você na TV e já agora se ofereceres as pinturas tb optimo. Ja sabes é que a minha base é sempre a mesma Dermablend sand

- Um perfume: Hj fui uma perfumaria e experimentei um que parece que fica na minha pele, da Calvin Klein Euphoria. Tb gosto de um que é o First mas nao me lembro da marca... Já sabes que têm de ser perfumes fortes se não, 5 min dps já não cheiro a nada....

E agora as coisinhas mais básicas e no fundo desejos para o proximo ano:

- Aguenta-me no meu trabalhinho pois a coisa nao anda facil
- Da mais clientes ao meu xuxuzinho que ele ainda tem um tempinho livre. Os clientes dele não se vão arrepender e ajudava aqui o orçamento familiar
- Vê lá se é mesmo para o ano que o meu livro vai ser lançado
- Dá-me tempo e disponibilidade para avançar naquele projecto que ando a maquinar com a Marta e Salomé

E o principal:
Saude, pois se não tivermos todos saude, não há prendas nenhumas no mundo que nos façam ser felizes.

Pronto, acho que já está. Se me lembrar de mais alguma coisa venho aqui dizer-te.

Obrigado

Cumprimentos e até breve

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Amigos, amigos...

Negócios à parte. Já é um ditado bem velhinho, do tempo dos nossos tetaravós, sobejamente conhecido por todos mas por vezes ignorado.

Era uma vez uma amiga, uma grande amiga que tinha uma empresa de engenharia e que se tinha associado a um construtor com o objectivo de alargar os clientes e trabalhar pois encontrava-se desempregada.

Era uma vez a cliente, amiga da engenheira. Tinha uma casa velhinha que precisava de umas mega obras para poder ser habitada pela familia da cliente, cliente, marido e filhos de 4 anos.

Quando a amiga engenheira soube que a cliente gostava de fazer obras na sua casa, propos-se ser ela a apresentar uma proposta e a liderar a obra. Como os orçamentos em causa andavam todos ela por ela, a cliente achou que podia ajudar a amiga aceitando que fosse ela e o empreiteiro "socio" dela a realiza-la. Era um ganho-ganho. Ganhava a cliente pois teria a certeza que não seriam roubados pois a amiga trataria de arranjar os preços justos para obra, ela garantia a cliente que a obra ficava pronta em 2 meses, coisa que outros enmpreiteiros não garantiam e ganhava ela, pela experiencia e o empreiteiro por mais uma obra que nos tempos que correm não era nada facil arranjar.

Pois deixemo-nos de rodeios. Está claro que a cliente era eu.

Vendemos a nossa casa em Março e preparamo-nos para que a obra começasse imediatamente pois levaria 2 meses se tudo corresse bem. 2 meses mais que suficientes para nós que tinhamos vendido a nossa casa para poder efectuar as obras e só tinhamos 2 meses até ficarmos sem casa. Era um risco e tudo tinha de ser cumprido à risca. Mas, as coisas não se desenrolaram conforme previsto e os imprevistos começaram a acontecer. O banco atrasou-se imenso na aprovação do crédito, o empreiteiro não quis começar a obra enquanto não visse algum e depois do crédito aprovado o banco exigia que a obra ja estivesse a decorrer para nos dar a 1ª tranche. Era o efeito ping pong. Sem dinheiro não podiamos avançar com a obra e como tal nunca receberiamos o dinheiro do banco. Até que,  em 15 de Abril lá arranjámos maneira de avançar com algum, pedindo dinheiro emprestado à familia. E as obras começaram com... quase 2 meses de atraso, devagarinho, bem devagarinho à medida do dinheiro que chegava às pinguinhas pois o banco só ia dando mais à medida que a obra estivesse concluida e o empreiteiro só fazia a obra quando recebesse dinheiro. Resultado, 2 meses depois da venda da nossa casa, estavamos sem casa. A nossa vendida e ocupada, e a outra em obras totais, impossiveis sequer de arranjar um cantinho onde pudessemos viver. Totalmente destruida.

O tempo passou... as obras que tinham começado com quase dois meses de atraso decorriam a passo de caracol. O dinheiro esse também chegava gota a gota. Nós sem casa, tivemos de viver com a casa às costas literalmente, passeando-nos entre uma casa emprestada, hotel e casa de férias na Figueira da Foz.  Tive de tirar férias forçadas pois era isso ou ficar a viver com os meus pais sozinha enquanto pai e filhos iam para a Figueira. E o dinheiro que se gastou entre hoteis, armazém, etc. Incalculavel. Os miudos entretanto ficaram sem colégio pois como andávamos tipo caracol, não conseguiamos que eles se mantivessem no colégio antigo nem que já fossem para o novo.

Passou-se Maio, Junho, Julho e chegaram as tão desejadas férias. Aquelas férias que todos nós desejamos para pôr para tras das costas os nossos problemas, para descansarmos, rirmos, divertirmo-nos e estarmos com os amigos e familia. Em finais de Julho fizemos um ultimatum às obras. Tinha-se tornado impossivel esperar mais. Além de já termos esgotado as nossas poupanças em hoteis por não termos casa, estavamos fartos e os miudos esgotados da nossa vida inconstante.

Num esforço intensivo, o empreiteiro conseguiu acabar o 1º andar por forma a podermos ir para lá. O r/c onde se encontravam os quartos e a cozinha ainda estava por acabar, bem como as escadas interiores que ligavam o r/c ao 1º andar mas, não tinhamos outra alternativa se não viver uns tempos no 1º andar, nuns colchões improvisados.

Depois de mais cerca de 2 semanas a viver no 1º andar, eis que o r/c fica pronto e podemos mudar-nos para os nossos quartos. Ainda faltavam muitos acabamentos e pormenores, nomeadamente a escada interior que ainda não havia, mas tinhamos então as condições minimas de alojamento. Estavamos já no final de Julho. As ferias tinham começado.

O exterior era ainda um monte de tábuas partidas, andaimes, areia e cimento. Estavam nesta altura, em plenas férias a fazer o isolamento exterior. Excusado será dizer que as nossas férias foram de fugir pois era impossivel estar em casa. No entanto, também não podiamos ir para fora pois os pedreiros estavam constantemente a precisar de nós, nem tinhamos dinheiro para isso. Era a energia que faltava, era a areia que acabava, era uma duvida ou outra que tinham. Enfim. O pavimento exterior nesta altura estava também ele em bruto. Era só areia preta, pregos, tabuas, um caos. Nesta altura e uma vez que estavamos de férias, conseguimos andar mais em cima da obra e constatámos que o empreiteiro não tinha ainda comprado o pavimento exterior, embora já lhe tivessemos dito há algum tempo qual gostavamos. Ficámos danados, principalmente porque tudo tinha prazos de entrega de quase 2 meses. Lá resolvemos inventar e com 3 tipos de pavimento que tinham em stock, adiantámos nós o dinheiro. Mais uma vez insistimos com o empreiteiro no cumprimento do prazo pois na 2ª quinzena de Agosto eu ia ter mais 15 dias de ferias e gostava de, pelo menos 1 semaninha estar sem homens das obras la em casa. Entretanto, tinhamos nós encomendado a piscina, também inteiramente paga por nós se a quisessemos ter a tempo de ainda ser gozada no verão. Pedimos para o empreiteiro fazer o que lhe competia e que tinha sido estabelecido previamente que era fazer o buraco e criar as condições para montar a piscina. E foi aí que as coisas começaram a dar para o torto. Uma vez que fomos nós directamente a comprar a piscina, o empreiteiro demitiu-se da responsabilidade de fazer a montagem da mesma. Ainda explicámos que tinhamos comprado nós porque tinhamos tomado a decisão no ultimo dia que garantia a entrega da piscina em tempo util. Explicámos que há muito que sabiam que piscina é que queriamos e só estavamos na duvida se iamos ou não fazer a piscina já. Quando finalmente tomámos a decisão, não houve tempo de passar a responsabilidade da adjudicação ao empreiteiro pois ainda por cima precisavam que nós lhes dessemos o dinheiro para serem eles a comprar, coisa que não tinhamos pois comprámos com crédito. O empreiteiro acabou por concordar montar a piscina e nós achámos que o valor da montagem já estaria incluida no preço da obra. Acrescentámos uns extras que considerámos que não estavam previstos, deixámos de fazer algumas obras que estavam previstas no orçamento inicial, tudo para que no final o saldo fosse perto de zero.

Qual não foi o nosso espanto, quando depois da piscina acabada, o empreiteiro nos apresenta um orçamento com quase 300 vezes mais do que aquilo que esperavamos. O equivalente praticamente ao preço da piscina.

Achámos ridicula aquela situação. O facto de fazer uma obra destas e apresentar o orçamento depois, com um valor exorbitante. Não aceitámos como é obvio. Ainda assim, atendendo a minha amizade com a engenheira que tinha sido apanhada no meio desta confusão, tentámos negociar por forma a que principalmente ela não ficasse prejudicada pois ainda por cima o empreiteiro tinha-a ameaçado através de nós, dela ter de pagar o valor que nós nos estavamos a recusar.

Depois de uma conversa meio exaltada entre nós e a minha amiga e de termos acalmado conseguimos faze-la entender que o problema estava na enorme desorganização do empreiteiro que faz obras sem orçamentos prévios e que aplica o dinheiro que nós lhe damos de uma forma desorganizada, ao que ela anuiu. Foi a primeira vez que ela trabalhou com ele, e nós não a podiamos condenar. É certo que quando nos metemos com pessoas que desconhecemos por vezes apanhamos surpresas menos boas, pois uma pessoa que parece optima pessoa, de confiança, justo, por vezes acaba por ser o contrário. As vezes não é por mal, é mesmo porque a pessoa se calhar não é tão competente como imaginavamos ou então é mesmo da personalidade da pessoa. Só com a experiencia é que aprendemos... e se aprendemos.

A obra ficou inacabada desde então. Ficou a faltar concluir o anexo que esta sem porta e com a janela antiga. Ficou por concluir o portão pequeno que acabámos por faze-lo mais tarde por nossa conta pois tratava-se da segurança da nossa casa, tal como o portão dos carros. Ficou por colocar uma porta para o vão das escadas. Ficou por acabar a escada que foi das coisas mais mal feitas que eu já vi. Ficaram os estores por afinar que todas as semanas há um que encrava vá se la saber porquê. Ficaram as janelas do 1º andar mal feitas o que deu origem a 3 inundações pois por esquecimento não furaram as janelas que permitiam o escoamento de água. Ficou por colocar um interruptor de luz, entre outros pormenores que continuam por esclarecer nomeadamente o facto de, de vez em quando, sem que nada o preveja, o quadro da luz ir abaixo como se estivesse algo em curto circuito.

Além de tudo isto, não temos qualquer garantia escrita do trabalho efectuado, ou seja, se de repente os estores se avariam, se a banheira ou as torneiras se estragam, se continuamos com infiltrações ou humidades, se a escada se parte, não sabemos a quem recorrer nem quem responsabilizar.

Depois das ferias tinhamos combinado com o empreiteiro a finalização da obra. Demos o valor que acordámos com ele e deixámos um pequeno valor para acabar quando a obra estivesse totalmente terminada com garantias e tudo. Ele concordou. Setembro passou, Outubro passou e nada. Tudo ficou tal como estava. Em Novembro o meu marido que estava pelos cabelos com toda esta situação e a controlar-se apenas por respeito à minha amiga, passou-se dos carretos, pois recebemos um telefonema do empreiteiro com uma ameaça. "Só coloco a porta e a janela do anexo em falta se pagarem a totalidade do que falta já. Sem isso não faço mais nada." Vimos logo o resto dos acabamentos em falta a irem pelo cano bem como as possiveis garantias. Tinhamos noção que se fizessemos o que ele queria, o mais certo era pirar-se e nunca mais o vermos. O meu marido não está mais com rodeios e faz o que há muito andava a ameaçar fazer. Contratar um advogado.

Um dia quando cheguei a casa, recebo a noticia que a carta do advogado já tinha sido enviada.

E foi assim que se perdeu uma amizade de mais de 10 anos. A minha amiga como era intermediária acabou por levar por tabela. O advogado aceitou o nosso caso e pediu contas ao empreiteiro e... à minha amiga. Deu um prazo limite para a conclusão da obra e apresentação de todas as garantias e pediu indemnização por danos causados por incumprimento do prazo estabelecido.

E a minha amiga deixou de falar comigo. Com razão talvez... ou talvez não. Pedi desculpa a ela por o que se passou. Sei que ela não tem culpa directamente mas indirectamente e perante o advogado vai ter que assumir alguma responsabilidade. Se estamos a ser justos com ela? Se calhar não. Mas também ninguem foi justo connosco. E ela sabe disso. Ou melhor, devia saber disso. Ela tem duas opções. Ou fica do lado do empreiteiro. Ou fica do nosso lado. Não é uma opção facil mas eu sei qual seria a minha. Entre escolher assumir um erro e escolher a amizade de mais de 10 anos, ou escolher o profissionalismo, o orgulho e uma pessoa que conhecemos há 1 ano, eu decidamente sei qual seria a minha opção. Mesmo que no meu intimo achasse que a minha amiga não teria tanta razão assim. Eu escolhia a amizade. Mas isso sou eu.

ADENDA: Mas a amizade afinal não se perdeu, pelo contrário... renasceu das cinzas, mais forte que nunca... quanto ao empreiteiro esse... sabe-se lá onde anda. As obras assim ficaram... assim se encontram. ainda hoje (04/04/2014)

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Camisa de noite ou pijama

Sempre gostei muito de pijamas. Gosto de dormir quentinha e ainda para mais depois de ter sido mãe com as inumeras viagens a meio da noite entre o nosso quarto e o quarto dos pequenotes. No entanto este ano, não sei porque razão ainda não tive aquele frio que costumo ter à noite. E sinceramente está a fazer-me confusão dormir de pijama. Lembro-me que nos anos em que dormia de pijama, por vezes ia às lojas e tinha imensa pena pois havia imensas camisas de noite lindas e quentinhas enquanto os pijamas não os achava nada de especial. Havia uns giros na Oisho e pouco mais. Este ano, quando começou a ficar tempo de vestir um pijaminha mais quentinho ou melhor, uma camisa de noite mais quentinha, corri às tipicas lojas para ver se encontrava umas camisas de noite engraçadas e em conta. Ainda por cima das 3 camisas de noite que tinha dos anos anteriores só encontrava uma. Não faço ideia onde se meteram as outras duas, provavelmente ainda dentro de um caixote qualquer sei lá eu. Qual não foi o meu espanto que este ano virou moda o pijama. Há pijamas de todas as formas, cores, feitios e tecidos. Lindos, quentinhos, amorosos. E eu? Eu não estou a procura de pijamas. Quero camisas de noite. Não há! Encontro uma aqui e outra acolá com uns bonecos da Disney, nada baratas e mais nada. Nadinha, Nadica de nada.

Ora chego a conclusão que o meu termostáto não quer nada com a moda. 

Ahhh... Já agora. Na minha Wish List para o meu aniversário que se aproxima ou Natal podem acrescentar a camisinha de noite. Já sabem, bonita de preferencia com uns bonecos, quentinha. Se vier acompanhada com umas calças de trazer por casa, daquelas de pijama, que eu posso não domir com elas mas gosto de andar descontraida em casa, podem comprar também.

Hello...

Pequenas coisas que fazem rir os pais à gargalhada do meio do nada.

Estavamos os 4 no carro num passeio até Portel onde iamos passar o fim de semana quando, no meio de uma conversa a propósito já nem me lembro do quê, o Diogo sai-se com qualquer coisa como... "Ahhh Estão ali ovelhas!" O pai pergunta em tom de piada pois não tinha visto ovelhas nenhumas... "Ai sim? E de que cor são as ovelhas? Azuis?" Eis que o Diogo, que não estava para brincadeiras, abre os braços e num tom completamente teatral  e com uma cara de tasteapassarouquê sai-se com um... "HELLO!!!! Eram brancas! Não existem ovelhas azuis"

Isto lido parece que não tem piada nenhuma e uma coisa normalissima mas para nós não foi. Foi a primeira vez que empregaram uma expressão destas e muito bem conteixtualizada, ou seja a prova que o facto de estarem com os pares ou seja outras crianças como eles lhes está a fazer muitissimo bem. Ora toma lá que já almoçaste. :)


Está para chegar o dia em que também vão aprender com os seus pares umas coisas menos boas e que nós não vamos gostar nada, mas é mesmo assim. É sinal que estão a crescer.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Saudades

Vocês sabem o que eu adoro fotografar. Adoro. Adoro. Adoro. Por mim andava sempre de maquina em punho a registar momentos atrás de momentos. Aliás, a fotografia já me valeu um negocio extra através do Doces Olhares, algo que faço com muito gosto e com um prazer enorme mas apenas de tempos a tempos. E porquê? Não por falta de clientes felizmente. Até os tinha se eu quisesse. Ou melhor. Se pudesse. Mas a fotografia rouba-me tempo. Apesar de ser um prazer para mim rouba-me tempo a outro prazer que tenho que é estar com a minha familia. Se eu podia conciliar as duas coisas? Podia. Eu acho que podia, mas há sempre quem se sinta prejudicado ou ache que estou a prejudicar. Se calhar estou mas não sinto. Porque quando chego de uma sessão fotográfica venho feliz e realizada e cheia de amor para dar. Chateia-me quando sinto que do outro lado sentiram a minha falta e acharam que perdi tempo. Chateia-me não. Entristesse-me. Não me posso chatear com uma coisa destas pois é bom sentirem a minha falta não é? É bom gostarem de estar comigo e ainda bem que eu posso estar com eles e eles estão comigo. Há familias que por n razoes estão afastadas e isso sim é duro. Mas sinto a falta do clicke.

Para mais a minha mini compacta há cerca de 1 ano e meio deu o berro e avariou-se. Aquela maquinetazinha que eu levava para todo o lado e que me enchia o coração qd clicava e apontava para aquele momento que não queria perder. 

Obvio que tenho uma maquina muito melhor mas convenhamos. É uma semi profissional, grande, pesada. Não. Não cabe na mala e como tal não a levo para todo o lado. E sinto que tenho perdido tantos momentos por causa disso.

No outro dia quis fazer uma selecção de fotos dos meus miudos para imprimir e fiquei horrorizada com o que vi. Não tinha uma unica fotografia deles como deve ser no dia de aniversário deles. Como coincidiu com as mudanças de casa e apesar de ter a maquina grande disponivel, os nossos festejos foram muito simples em passeios nada programados e em familia a 4. Por diversas razões nesses simples passeios pensei. Se tivesse aqui a maquina. Mas não a tinha. Tinha ficado em casa pois era muito pesada e não tinhamos programado nada. Resultado. Zero fotos. 

Mais, as ferias de Verão. Eu que todos os anos tirava centenas de fotos nossas do Verão, praia, piscina, etc. Contam-se pelos dedos as fotos que tenho destas ferias e tudo pela mesma razão. Para a praia nao podia levar a maquina pois uma maquina destas é um chamariz. Só se eu estivesse sempre ao pé dela e não brincasse com os miudos, caso contrário estaria sempre de olho na toalha. Casa não tinhamos, tinhamos apenas uma casa em obras. Em resumo, andar com a maquina atras, uma destas, nem pensar.

E as saudades de fotografar estao a ser cada vez maiores. E já decidi. Este ano, nos meus anos quero uma nova mini compacta. Apenas para registar os momentos. Estou a um passo de o fazer. Contas e mais contas... mas vai ter de ser pois preciso de uma maquina na minha vida. Já a escolhi. É cor de rosa... :)

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Impacto de um pai na vida de um filho

Ontem foi dia de reunião de pais da escola dos miudos e a reunião começou com uma apresentação de uma psicologa sobre a necessidade de brincar e terminou com este video maravilhoso. Confesso que quase me caiu a lagrimita do canto do olho mas controlei-me, se não ainda pensavam que era maluquinha por chorar por dá cá aquela palha. A verdade é que me comoveu e como gosto de partilhar o que me comove, ora tomem lá.


terça-feira, 20 de setembro de 2011

O novo Portal de Gémeos

Aqui há 1 ano atrás lembram-se de ter divulgado um portal de gémeos. Achei que fazia falta um local onde se reunisse toda a pouca informação que existe e assim foi. Pedi ajuda ao meu mano para fazer o site e rapidamente coloquei em pratica o meu plano. Mas, como tudo na vida, há coisas que infelizmente são demais para nós e este portal foi uma dessas coisas. Sozinha eu não o conseguia manter. O facto de estar feito numa linguagem que implicava estar também dependente do meu irmão para o alimentar também não ajudava e o portal www.gemeosmaisgemeos.com foi caindo por terra. Ele continuava lá, mas fraquinho, quase moribundo.

Eis que de repente, no facebook ganha vida o grupo Mães de Gémeos formado por uma mãe de gémeos residente na França que resolveu dar uma dinamica nova aos grupos já existentes e cada vez menos activos. Este grupo cresceu como nunca visto e teve uma aderencia brutal. Eu fui obviamente uma das aderentes pois estou sempre em cima dos acontecimentos relacionados com os gémeos. Ainda causou algum burburim nomeadamente nas pessoas que frequentavam as outras "casinhas" e que sentiram que as mães deixavam de participar nos cantinhos antigamente existentes para passarem a frequentar facebooks e afins, mas rapidamente se percebeu que inequivocamente era apenas mais uma forma de participação. Não sou adepta de varios grupos com a mesma finalidade e por isso mesmo achei que devia continuar a haver algum sitio que juntasse toda esta informação e grupos existentes. Felizmente, a Marta, administradora do Mãe de Gémeos era da mesma opinião e ao ter conhecimento do moribundo Gemeos Mais Gemeos, perguntou-me se estaria interessada em ressuscitar o Gemeos Mais Gemeos com outra cara. Disse-lhe imediatamente que sim, pois com 2 pessoas a trabalhar no projecto seria muito mais facil levar-mos a nossa avante. O Gemeos Mais Gemeos acabou por morrer e deu vida ao Gémeos e Mais. Começámos a trabalhar na gestão de conteudos e de cada vez que o portal ia ganhando forma, dava-nos mais ideias para continuar. O Gemeos e Mais foi crescendo assim, alimentando-se das nossas inumeras ideias que pareciam nunca mais acabar.

Finalmente em 25 de Julho colocámos online o novissimo portal:



www.gemeosemais.com


Mas as novidades não se ficaram por aqui. Como ideias a turbilhar na nossa cabeça não faltam, havia  alguns pormenores a fazer e a primeira das coisas assim que chegámos a um consenso foi registar o nosso logotipo. Gostámos tanto do nosso logotipo que era impensavel para nós que alguém sabotasse a nossa ideia e antes que isso acontecesse tomámos providencias. E o nosso logotipo é agora um logotipo registado.

Muito mais ideias continuam a bailar nas nossas cabeças. O portal está longe de estar terminado. Alguns textos ainda têm de ser revistos e a linguagem uniformizada pois alimentámos o nosso portal à custa de muita informação estrangeira mas o optimo é inimigo do bom e com calma vamos conseguir chegar à perfeição.

No inicio do proximo ano, se tudo correr bem, estamos a engendrar algo que vai ser uma ajuda tremenda para os pais e familiares de gémeos e mais. Aos amigos, conhecidos e quem me visita, passem a palavra e divulguem o portal porque: Há sempre alguém que conhece alguém que tem gémeos! E eles andam aí e nós queremos saber onde andam.

Em relação à casa

Pois é, não pensem que por estar muito caladinha sobre este assunto que as famosas obras já acabaram. Não. Como sempre imaginei, 2 meses nunca iriam demorar, seria muito mais tempo que isso, mas mesmo o meu "muito mais tempo" superou as minhas piores expectativas, pois estamos praticamente a terminar Setembro e ainda tenho andaimes espalhados no terreno, sacos de cimento, betoneiras, sapatos dos homens das obras e muitas outras coisas que não fazem parte da decoração da casa, espalhados por lá. Por dentro também falta uma grande quantidade de pormenores, que todos juntos não é muito mas é muita coisa. E estamos absolutamente fartos de levar com eles diariamente. Se antigamente eu dizia que eles eram educados e não chateavam muito agora digo o contrário. Há uns antipaticos, mal educados que mandam beatas para o chao sem se importarem com o facto de estar plantada uma recente horta biologica, que partem os mosaicos mesmo em cima da piscina, só falta darem um mergulho nela. Fazem xixi sabe-se lá onde mas imagino pelo cheiro que por vezes sai de certos sitios. Enfim... estamos fartos. O empreiteiro que ao principio parecia ser boa pessoa, pode até continuar a sê-lo mas não deixa de ser um empreiteiro e já sabemos que esta gente anda toda na mesma escola. A minha amiga, que supostamente ia dar conta da obra, por causa de outros compromissos acabou por se ausentar e não dar a atenção devida. E nós sentimo-nos assim, um pouco enganados mas ao mesmo tempo sabendo que não seria melhor com outro qualquer. E é ver os nossos pais e amigos, a dizerem-nos coisas que são obvias para nós, que deviamos ter feito, isto e aquilo e que o J devia ter feito isto e aquilo, mas o facto é que não se fez e nem tinham nada que opinar pois o problema é só nosso e de mais ninguém. E tudo isto é cansativo. Sinceramente estou a AMAR a minha nova casa. Estou a AMAR a nossa nova forma de vida. Mas estou desejosa de ver aquela gente das obras pelas costas com bilhete de só ida.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Outra novidade

Mandei a minha editora, a Smartbook dar uma volta ao bilhar grande. Até agora fui sempre muito educada e mesmo quando não me respondiam as mensagens ou emails tentei nunca mencionar o nome deles e respeitar o mais possivel o nome e a entidade, mas agora chega. Depois de ter dado a entrevista para a revista "A nossa gravidez" que podia ter servido de empurrão para o lançamento do livro e a qual acabei por não aproveitar minimamente, podia ter colocado a capa do livro na revista, chamar pessoas ao lançamento e fazer publicidade gratuita ao livro. Não fiz nada e porquê? Porque apesar das inumeras chamadas e mails nem uma resposta se dignaram a dar. Aguentei, afinal tinha contrato assinado pensava eu. Mas o tempo passava e nada. O editor ignorou-me completamente. Era eu a mandar-lhe mensagens e a ligar e ele sem atender e depois passeava-se pelo facebook como se nada fosse. Eu atacava no facebook e ele mais uma vez nada, era como se eu nem existisse. Aguentei. Aguentei 1 ano e meio, com as pessoas que colaboraram no livro, a perguntarem constantemente, então? Quando é o lançamento? E eu lá explicava que não sabia porque o editor nem se dignava a responder. A uma dada altura acusei-o de falta de respeito por nao responder às minhas mensagens e eis que me responde em tom frio que tudo estava como antes e que o lançamento seria quando houvesse um encontro de gémeos. Eu, WHAT? E sei lá eu quando é que isso pode ser. Agora com a crise, as camaras estão por tudo menos para gastos desnecessários. Vi a ideia do livro a desmoronar-se. Esperei mais uns tempos.

Entretanto, recebo este convite da TVI e voltou tudo à carga. Coincidentemente, uma outra mãe de gémeos lançou um livro sobre a vida dela como mãe de 3 filhos. Assustei-me. Pensei que fosse do género e já me estava a ver ultrapassada, mas depois verifiquei que o livro dela nada tinha a ver com o meu e que ambos se complementavam. Tive então a ideia de contactar a editora dela para ver se teriam interesse no meu livro. Antes e para que não houvesse qualquer questão legal, rescindi formalmente com a Smartbook pois segundo o código dos direitos de autor tenho todo o direito de rescindir caso o livro não seja lançado nos 6 meses subsequentes ao contrato ou entrega do original.

E assim disse Goodbye à Smartbook e Hello a outra cujo nome revelarei logo que tenha novidades mais concretas.

Só para terminar....acham que a Smartbook ficou muito chateada por eu ter rescindido? Eu acho que não, mas acreditem que vai ficar quando vir que o meu livro vai ser um sucesso e que eles perderam estupidamente essa oportunidade. 

Como disse o meu querido editor numa das suas saidas fantásticas no facebook.
Opportunity is missed by most because it is dressed in overalls and looks like work.– Thomas Alva Edison
So true...

Novidades

Ora bem novidades... há... há algumas e outras estão para vir. A primeira das quais foi aquela lá abaixo.

Então aqui há uns tempos fiz um comment no blog do Cocó na Fralda a proposito de pessoas que tinham 3 ou mais empregos. Apesar de considerar que não me inseria exactamente da condição de possuidora de 3 ou mais empregos porque apenas um deles era remunerado, a fotografia era um hobbie transformado em part time e os restantes eu chamar-lhe ia mais de actividades em vez de empregos, dei o meu contacto para o caso de precisarem de mim. Passado um bom tempo, eu diria que mais de um mês, já nem me lembrava do assunto, recebo um email de uma jornalista da TVI do Você na TV a dizer que gostaria de fazer uma reportagem comigo. Demorei um tempo a digerir pois não estava nada a espera. Confesso que achei quando dei o meu contacto que quanto muito seria para fazer uma entrevista para uma revista qualquer. Perguntei por várias vezes se queria mesmo fazer a reportagem comigo pois eu não me considerava assim tão especial e como a jornalista insistiu eu acabei por ceder.

Devo dizer que foi uma experiencia fantástica. Fizeram a reportagem em minha casa, com a famelga toda. Os meus filhos portaram-se como eles proprios, que nem macaquinhos saidos do circo, o meu maridinho que não gosta nada destas exposições também se mostrou orgulhoso de mim e eu, bem eu acho que até me portei bem, não gaguejei muito, só tive de repetir algumas cenas, não disse palavrões nem palavras erradas. Foi muito giro. No dia da reportagem de estudio, conheci o grande Manuel Luis Goucha, uma simpatia, apesar de não ter falado muito com ele. Antes, tive uma agradável surpresa que foi ser maquilhada e penteada por aquelas meninas fantásticas e mágicas da TVI. Fazem verdadeiros milagres. Fiquei absolutamente fascinada e fã. Descobri que, modéstia a parte tenho uns olhos lindissimos e que se eu soubesse, ahhh se eu me soubesse maquilhar assim, ou melhor ainda, se eu tivesse quem me maquilhasse assim todos os dias era uma mulher verdadeiramente feliz. Acho que ficava bem disposta logo pela manhã, coisa que quando acordo é dificil... muito dificil. E pronto, curiosamente não estava muito nervosa. Falei bem com muitos "basicamentes" à mistura, contrariedades dos programas em directo. E toda a gente adorou ver-me. Pus uma quantidade de amigos e conhecidos à frente da TV a ver o Goucha.

E depois só tive pena de não ir aproveitar a make up e penteado para uma grande noite com o meu maridinho, mas o dever de mãe chamava-me bem alto!

Apesar de não ter tido grande retorno nos meus negócios o que não faz mal porque nem foi muito com esse objectivo que fui lá, adorei a experiencia. Muitas pessoas viram o programa e fizeram-se fãs do Doces Olhares e principalmente do portal Gémeos e Mais. Aliás, esse era o meu objectivo principal. Portanto, objectivo concretizado e uma experiencia a repetir logo que me deixarem. :)

Ahhh não posso deixar de fazer referencia à Catarina Almeida, a minha companheira do Você na TV a outra "Super Mulher". A Catarina além de ser uma simpatia, tem um restaurante, uma banca de pão com chouriço e uma lojinha lindissima, a princess pea. Usa umas ilustradoras cque fazem uns desenhos amorosos que a juntar à craitividade da Catarina transforma objectos comuns em autenticas peças de arte. Fiquei fã.

Era uma vez...

Era uma vez uma miuda que se licenciou em gestão.
Era uma vez uma miuda que começou a trabalhar aos 19 anos.
Era uma vez uma miuda que se lançou na carreira financeira em grande força.
Era uma vez uma miuda que gostava muito de escrever.
Era uma vez uma miuda que usava a escrita para transmitir o que lhe vinha na alma.
Era uma vez uma miuda que foi mãe de gémeos.
Era uma vez uma miuda que escreveu um livro sobre gémeos.
Era uma vez uma miuda que achou que tinha jeito para a fotografia.
Era uma vez uma miuda que quis fazer da fotografia um mini negocio.
Era uma vez uma miuda que como "não tinha nada que fazer", ainda aceitou ser TOC da empresa do marido.
Era uma vez uma miuda que fez um portal sobre gémeos com outra amiga.
Era uma vez uma miuda que fez tantas coisas e tão variadas que a chamaram para vir ao Você na TV.

video


quinta-feira, 30 de junho de 2011

1º Noite na casa nova

Finalmente... YUPIII... Chegou o grande dia. O r/c ainda tem alguns acabamentos por fazer, então resolvemos ficar no 1º andar. Dormimos todos juntos no unico quarto o que para os miudos foi uma festa. Felizmente cabia o nosso colção mais as duas caminhas deles. O nosso colchão teve foi de ficar no chão devido ao tecto ser esconso. Como a cozinha ainda não está pronta, tivemos de ir comer qualquer coisa ao nosso restaurante preferido, o Chicco's que infelizmente vai fechar no final de Agosto para grande pena nossa. Depois do jantar, miudos na cama e mãos à obra para as limpezas. Pó por todo o lado, que nunca mais acaba. A esfregona passa e passados 5 minutos nota-se ainda vestigios de pó no chão. Como a luz não era muita, pois ainda não montámos os candeeiros, verifiquei esta manhã que a limpeza ficou uma porcaria. Enfim, tenho de lhe dar na esfregona hoje novamente. A noite correu muito bem, apesar de alguns inconvenientes. Como no 1º andar não temos estores nem cortinas, tivemos de recorrer a uns almofadões para tapar a luz da janela. No entanto, a janela como ainda é grande, os almofadões não taparam toda, resultado, às 6.01 da manhã acordo estremunhada com um raio de sol nos olhos. Meio a dormir, agarro na primeira coisa que vejo á frente, que eram os calções de ganga do meu xuxu e entalo no almofadão para tapar mais um bocado da janela. Ás 7 da manhã acorda ele, a achar que ainda estava uma luz enorme no quarto (e estava). vai buscar uma toalha e coloca também presa na janela. Quando finalmente acordámos, percebemos que a janela mais parecia um estendal, mas o que interessa é que conseguimos dormir mais um bocadinho. eheheh

Bom dia, bom dia, bom dia a todos os homens das obra que nos apareceram logo às 8 e tal da manhã e lá vim eu para Lisboa trabalhar. Verifiquei com alguma felicidade que o transito que apanhei foi praticamente o mesmo que vindo de Cascais. Uff, menos mal, pelo menos nesta altura do ano. No inverno logo se vê.

Agora é pôr mãos à obra nos bocadinhos livres que vou tendo para fazer arrumações... e tenho tantas arrumações para fazer!!!!!!

PS: Estou perdidamente apaixonada pelo meu roupeiro novo. Está absolutamente fenomenal. Merece uma foto só dele. A ver se hoje trato disso.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Outra tirada muito frequente ultimante

-Já não gosto da mamã nem do papá... Só do Tiago / Diogo... ahhh e dos avós.

Pois... é que só do maninho não pode ser. Espera lá... Tem de haver um porto seguro...

Esta é ouvida quase todos os dias, invariavelmente pelo Diogo ou pelo Tiago. Estão mal habituados os nossos filhos... estão, estão...

O meu filho Diogo

Depois de uma fervorosa discussão ao jantar pois este menino anda ligeiramente indisciplinado, o meu Dioguinho sai-se com esta:

- Já não quero morar mais nesta casa. Vou-me embora!

Pai e mãe incredulos a olhar para ele, perguntamos.

- OK. Sabes conduzir?

Diogo pensa um bocadinho e responde:

- Não. Vou para casa da vizinha!

Sem comentários... o meu filho quer-se divorciar dos pais e do maninho...

O que vale é que uns minutos depois lhe passou o amoque e decidiu dar-nos mais uma oportunidade. Uff...:)

Nova Casa

A semana passada com 2 meses intensivos de obras, a casa encontrava-se assim:






Dizem que amanhã, será o grande dia... e que já podemos ir logo para o r/c... será? :)))

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Meu querido Vodafone

Ele andava a ameaçar... andava... primeiro foi o carregador que se perdeu no meio das tralhas. Aliás, deve andar algures entre um caixote ou outro no armazém. Agora, que o meu irmão me tinha emprestado um carregador daqueles que faz ligação ao PC, não é que o bixo morreu mesmo. O botãozinho on e off foi-se simplesmente. Ele já andava meio dificil de ligar, mas com algum jeitinho e algumas tentativas, consegui sempre ligá-lo até... sexta feira. Na sexta feira, quando vou para o ligar pois tinha ficado sem bateria, carrego, carrego, carrego e NADA, nicles, nem um pio. Não é pelo telemóvel que me foi oferecido pelo meu irmão quando os meus filhos se encarregaram de enfiar um novinho num copo de água para ver se flutuava. Ele já era velhinho. Mas era agora o MEU telemóvel, onde tinha TODOS os meus contactos... TODOS. Digamos que eu não tenho telemovel de trabalho mas aquele era o que mais se aproximava. E agora nem consigo reencaminhar as chamadas para o TMN, nem fazer pagamentos online, pois exigem sms no telemóvel e não tenho telemóvel... fantástico não? Tenho de resolver este petit problem rapidamente.

18 de Junho - 2 meses de Obras

E pronto... se tudo tivesse corrido como previsto, ou seja, sem imprevistos, as obras estariam neste momento a acabar, mas como rara é a obra que não tem imprevistos e neste caso foram mais que muitos, o trabalho nesta altura encontra-se mais ou menos a meio. Tivemos uma converseta de pé de orelha com o empreiteiro e explicámos que as nossas condições habitacionais resumiam-se a nada mais nada menos que um hotel. Desde o dia 1 que fomos "expulsos" da casa de Belém onde estavamos, que a nossa vida tem sido um cá e lá. Tivemos umas férias forçadas nos feriados de Junho, passámos o aniversário dos miudos só os 4 na Figueira da Foz, voltámos a Lisboa a meio da semana para almoçarem com os avós, voltámos para a Figueira. No sábado dia 11 fui fotografar um baptizado e voltei nesse mesmo dia para a Figueira e na terça feira dia 14 meti-me no carro para mais uma viagem para vir trabalhar. Ficámos estes dias, muito bem instalados no Viva Marinha, felizmente. Aleluia que aproveito as connections do meu xuxu no ramo Hoteleiro. E veio mesmo a calhar sem duvida nenhuma. Ao menos isso. De qualquer modo, no fim de semana, lá vamos nós todos com 2 carros para a Figueira novamente, desta vez para trazer tralhas.

E no meio disto tudo as obras? Pois que as obras agora deram finalmente um bom avanço e já começamos a vislumbrar a nova casa. O entulho já foi embora e já começa novamente a ser uma casa em vez de uma lixeira municipal. O 1º andar está quase, quase pronto. A bem da verdade era para ficar pronto precisamente dia 18 mas devido a mais um imprevisto, desta vez dos móveis da casa de banho, lá se atrasou mais uns dias. Nestes ultimos dias tem estado mais de 20 pessoas em full time lá em casa. Parece o querido mudei a casa. Tudo a dar no martelo...  Já temos chão no 1º andar, paredes pintadas, janelas... estão a vir agora as portas e as loiças de casa de banho. Ficamos assim com uma mega sala, um quarto e uma casa de banho... esta zona vai servir provavelmente para nos instalarmos mais uma ou duas semanas até estar o r/c pronto. A ver vamos pois decidimos que só nos mudariamos quando a cozinha que fica no r/c também já tivesse condições para ter máquinas por isso, estão a trabalhar a conta relógio.

Agora, mais 3 dias no Viva Marinha e supostamente, ala para o 1º andar. Vamos ver como vai ser conviver com o pó e barulho das obras do r/c.

Entretanto já começamos a pensar nas cores das pinturas. E pronto, foi o caldo entornado. Eu e o xuxu não nos entendemos nas cores que queremos para a nossa casa. Eu que estava desejosa de dar largas à minha veia decorativa que tem estado adormecida, agora vejo-me presa pois o meu xuxu não quer apostar na cor. Eu já a fazer grandes planos de cores e decoraçáo com cortinados, colchas, etc e vai e ele e diz.... "Não gosto de castanho", "Não gosto de roxo", Não quero o escritório aí, quero acolá, etc, etc, etc. Oh valha-me a Santa! Porque é que não deixa agora a decoração por conta da parte feminina la de casa? Isto não é trabalho de gaija??? Não confia no meu bom gosto? Oh pah... eu nunca tive esta oportunidade... estou em pulgas para começar a decoração.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

24 de Maio - 39 dias de obras

Hoje tivemos uma conversa mto séria com o empreiteiro. Explicámos muito bem a nossa situação e mais uma vez apresentámos todas as garantias e mais algumas de pagamento. Pedimos para que fizessem todos os possiveis para termos o andar de cima pronto dia 15 de Junho. Resolvemos acatar a ideia do meu pai em relação a alargar a sala. Apesar das electricidades já terem sido feitas, achámos que não teria implicações de maior. Assustamo-nos quando o empreiteiro nos disse que as janelas podiam demorar 1 mês para vir. Ficámos brancos. Pedimos para tentar de todas as formas antecipar essa data já que esse prazo de entrega ia por em causa tudo o que pensáramos em termos de deadlines. Pedimos para contornarem o facto de alguns fornecedores pedirem pagamento à cabeça, pois consideramos que, dada a altura em que nos encontramos, e dado os meios de pagamento que apresentamos e por isso, sermos de baixo risco, não se justifica minimamente tal pedido. Bem pelo contrário, hoje em dia os fornecedores têm mais é de "baixar as calcinhas" se quiserem ter clientes pois a concorrencia é mais que muita.

Acho que valeu a pena a conversa. Aparte as janelas consideram razoável o nosso pedido para ter o 1º andar pronto. Se conseguirem contornar esse prazo de entrega estamos safos. Claro que fica, a faltar muitas outras coisas indispensáveis como a cozinha por exemplo mas calculo que não leve muito tempo depois disso.

Fiquei feliz. Apesar de ver a nossa casinha ainda toda de pernas para o ar, completamente escancarada, já consegui ver alguns progressos. Para além da electricidade pronta, estão a terminar a tubagem das águas e esgotos, estão a isolar o telhado e já estão a tapar alguns buracos. Falta imensa coisa agora, mas acho que agora é que as coisas começam a andar a sério.

O banco decididamemte não nos vai dar antecipação nenhuma e assim,  não nos resta mais do que chamar uma vistoria semana a semana e pagar 100 euros de cada vez que ela lá vai.

Adenda: Confirmação. As janelas chegam dia 13 e em 2 dias conseguem montá-las. Viva, parece que vamos ter 1º andar dia 15 de Junho. Viva, conseguimos ficar cá em casa mais 3 dias e assim os meus filhos e maridão já não me vão abandonar 3 dias! Está o puzzle finalmente a construir-se.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Ordem de saida

E pronto, ontem confirmaram-se os nossos receios. Temos ordem de saida da casa de Belém até dia 31 de Maio. Nem mais um dia. Não que eu não estivesse à espera mas tinha esperança que não fosse preciso tanta pressa. Não sabemos para onde vamos. Estamos completamente à nora. Vou antecipar 3 dias de férias para Junho e mais não posso fazer. Ou vamos ficar todos ao molho em casa dos meus pais que é melhor que ficar na rua ou vou ficar sozinha enquanto o JP e miudos vão para a Figueira. É uma situação que não me agrada minimamente. O máximo que fiquei afastada dos meus filhos foi 3 diazinhos há 2 anos quando eu e o pai fomos de fim de semana comprido. Ficar sozinha em casa dos meus pais e ainda por cima a trabalhar faz-me sentir profundamente mal. Mesmo sabendo que se trata de uma situação provisória. É algo que não quero nem pensar. Os meus pais também são completamente contra esta separação forçada. Já puseram a casa deles à nossa disposição mesmo sabendo que não ia ser uma posição confortável para ninguém. Melhor que estarem separados dizem eles. Pois é, verdade. Mas isso é a minha opinião. E o que mais me chateia é não ter uma data prevista e certa para este pesadelo acabar.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

20 Maio - 35 dias de Obras

Mais uma semana se passou. A casa continua esventrada e agora também sem janelas nem chaminé. A parte eléctrica está concluída. Verificou-se esta semana que as telhas estavam em muitíssimo mau estado pelo que vão ter de ser todas substituídas. Esta semana, e uma vez que o assunto esgotos estava arrumado, o meu pai resolveu implicar com a varanda. A nossa ideia inicial era fechar aquela varanda e fazer um prolongamento da sala mas devido a custos essencialmente, tirámos logo isso da ideia. O meu pai quer porque quer que se faça o prolongamento da sala (ainda não percebeu que somos nós a fazer as obras e somos nós que vamos viver para lá), então todos os dias telefona a dizer, oh Rita, aquilo não custa nada fazer, é só tirar as janelas de um lado e pôr no outro, nem precisas de colocar estores, pões uns vidros duplos bons como os que tens na casa onde estás agora em Belém, fazes o chão noutra altura e pões cimento nos buracos da tijoleira do muro na varanda e bla bla bla. Todos os dias, a mesma lenga lenga. Não tenho tido coragem de dizer que já fizeram toda a instalação eléctrica, inclusive para os estores eléctricos e ja taparam os buracos, por isso esse assunto está arrumado de vez. É um facto que gostava de ter a sala alargada mas caramba, não se pode ter tudo e já percebi que nem tudo corre como desejamos por isso 5.000 euros fazem-nos muita falta.

Estamos agora extremamente preocupados com outra coisa. Parece que vamos ter de sair da casa de Belém até ao final do mês. Não sabemos para onde vamos. Não sabemos mesmo!!! A casa está totalmente inabitável neste momento.O JP ameaça que vai para a Figueira pois não tem alternativa mas... e eu? Eu vou para onde? E vou ficar sem ver os meus filhos a semana toda? Não pode ser. Não quero. 2ª ou 3ª feira vamos ter uma reunião de urgência com os responsáveis da obra. É imprescidivel que dêem prioridade aos quartos e casa de banho do andar de baixo. Lixe-se o isolamento. É no exterior, pode se fazer depois. Lixe-se a cozinha, vamos almoçar e jantar fora durante uns dias. Mas os quartos e uma casa de banho têm de ficar prontos no máximo até ao aniversário dos miúdos que é dia 6. Ficam com 2 semanas de trabalho. Impossível? Vai ter que ser possível. Trabalhem ao fim de semana também ora essa. Precisam de dinheiro? Nós precisamos de um tecto! O dinheiro há-de vir caramba, precisam do quê? Que nós falemos com os fornecedores? Nós falamos!!! Bolas pahhh que atrasos de vida. E o raio do banco continua na maior, na vidinha dele. Temos um pedido de adiantamento feito há 2 semanas e nem uma resposta. Não são eles que vão ficar sem tecto... é um facto!

domingo, 15 de maio de 2011

15 de Maio - 30 dias de obras

 Faz hoje 1 mês que começaram as obras. Devia estar 50% terminada. Ahahahahahahah só para rir realmente. Eu sabia. Alguma vez as coisas connosco correm como deviam ser? NUNCA! Ora bem, por esta data tenho a casa completamente destruída. Só tenho paredes e telhado (por enquanto). Tenho as paredes esventradas e o chão voltou a ser areia. Tenho o tecto da sala todo partido, não tenho cozinha nem casas de banho, apenas o sitio delas. Começaram as confusões. Como a construção é antiga, não fazíamos ideia como era a estrutura e só quando se começou a partir é que começámos a perceber os problemas que daí advinham. Ora bem. Temos uma trave no tecto que atravessa a casa de uma ponta a outra e é essa trave que está praticamente a sustentar todo o 1º andar. Devido a uma mesa de snooker que tínhamos no 1º andar, essa trave precisa de ser reforçada e precisamos de colocar outra trave para sustentar a primeira. Precisamos de colocar um pilar na cozinha que não estava previsto e tivemos de mudar o local das escadas porque se ficasse onde pensávamos inicialmente, por causa dessa trave, ficávamos com um buraco no meio da sala. Tornou-se imprescindivel acabarmos com a lareira para colocarmos as escadas nesse canto. Os esgotos foi outra dor de cabeça. O meu pai resolveu armar-se em engenheiro e passou tempos a chatear-nos a cabeça em como deviam ser os esgotos. Expliquei-lhe que tínhamos uma pessoa cuja especialidade era esgotos e águas e que confiávamos plenamente na capacidade dela para resolver. O meu pai continuava a insistir que tínhamos de mudar as caixas de esgotos para fora de casa e acabei por ter de o pôr no lugar. Admito que o meu pai tem as suas razões para ser tão insistente porque ele não é engenheiro mas é uma pessoa muito bem informada, mas caramba, também temos de confiar nas pessoas que tiram cursos e especialidades ou não? Espero bem que esta parte fique bem feita pois se ficamos com uma poia entalada nos canos de esgotos, não vai ser nada bonito ter de rebentar com o chão de madeira maravilhoso que vamos colocar na cozinha. Nada bonito mesmo.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

6 de Maio - 13 dias de Obras

1ª Vistoria - Curiosamente quem foi lá vistoriar as obras foi o mesmo que nos foi avaliar a casa. Tirou umas fotos do que estava feito, levou uma ensaboadela do JP no sentido de avaliar as obras efectuadas no maior valor possivel. Disse que não podia mentir e que o valor que o JP estava a pedir (50%) era impossivel de dar. 3 dias depois soubemos que avaliou as obras em 11%, ou seja 11.000 euros. UAU... assim nem Agosto temos a casa pronta, fantástico. Estamos mesmo felizes :(.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

2 de Maio

Finalmente, mais de 2 meses depois de iniciarmos o processo no BES, tivemos a tão esperada escritura de hipoteca. Estavamos a ver que nunca mais. As obras começaram há 15 dias mas estão atrasadas que só visto. A ideia era ter a obra pronta em 2 meses. Uma total remodelação. Uma missão praticamente impossivel na minha opinião. No entanto, a empresa de construção a qual adjudicámos a proposta garantiu-nos, que iriam ter várias equipas a trabalhar ao mesmo tempo e tal. Esqueceram-se de referir que isto só seria possivel se lhes dessemos metade do valor da obra no inicio do projecto. Um pequeno pormenor que invalidou o cumprimento do prazo. O belo do banco só dá dinheiro aos bochechos e consoante a obra avança. O que quer dizer que a obra vai avançar de 10 em 10 mil euros... parece muito.... não. Para a obra que é, é 1/10 do valor total. Nesse mesmo dia avançamos com o pedido de vistoria para nos libertarem a primeira tranche.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

29 Abril - Mudanças

Hoje foi o dia das mudanças. Escolhemos um óptimo dia para nos mudarmos, ah pois foi. Que melhor dia, se não o dia do maior temporal dos últimos 10 anos?

Uma amiga a C conseguiu convencer os pais a emprestar-nos a casa dela que está a venda por 1 mês. Sim, porque eu disse que era só por um mês e estava mesmo a sério. O JP quase me convenceu que no final de Maio já estaríamos de certeza na nossa casa. A casa é em Belém, mesmo ao pé do meu trabalho, o que me dá um jeitaço. É pequenina, apenas com 2 quartos e sala e não tem maquina de roupa nem loiça mas a malta arranja-se. Dormimos todos no mesmo quarto e ficamos com o outro quarto para eles brincarem e para o JP trabalhar. Entretanto a escola já era e hoje, dia da mãe na escola, foi também o ultimo dia deles naquela escola. Lágrimas à parte, a despedida correu muito bem. 

Depois de uma manhã inteira a carregar a camioneta das mudanças e após algumas viagens de ida e volta com o meu carro atulhado até ao tecto, pelas 16 horas, conseguimos finalmente colocar tudo lá dentro. Mesmo à justa pois já não cabia nem mais uma mosca. Decidimos que parte das coisas iriam para um armazém e outra parte para a casa de Belém. Na hora que a camioneta saiu, caiu a maior chuvada dos últimos anos. Fiquei encharcadinha até à medula. Quando chegámos a Belém, parecia um desafio do Biggest Looser. Subir e descer as escadas até ao 1º andar carregada de malas, caixotes e etc não foi pêra doce. Finalmente perto das 20 horas, descarregámos tudo. Tínhamos ainda deixado algumas coisas na nossa casa, quadros, livros, baldes, esfregona, aspirador e resolvemos que iríamos lá depois de jantar. Fomos jantar a casa dos meus sogros, onde tínhamos deixados os miúdos no dia desta aventura e onde tinha caído o maior "nevão" de sempre, pleno centro de Benfica. Estradas cortadas, gelo até a cintura em alguns locais. Um filme de terror.

Após o jantar voltámos à nossa casa para ir buscar mais tralhas mas a aventura estava longe de ter terminado. O JP ao colocar algumas coisas no lixo, mandou para o lixo as minhas chaves do carro. Estão a ver aquelas ilhas ecológicas? Pois, foi exactamente para aí que foram parar as minhas chaves. Quando o JP chega a casa e me diz, quase branco o que tinha acontecido o meu mundo parecia ter desabado em cima de mim. Era o que mais faltava acontecer depois deste dia. Chorei desalmadamente sentada no chão do corredor vazio enquanto o JP voltava para junto do lixo para ver se conseguia tirar as chaves. Valeu a ajuda preciosíssima de 2 vizinhos que viram o que se passava. Um deles foi buscar uma cana de pesca e conseguiu, com a ajuda de uma lanterna "pescar" as minhas chaves. 

Reestabelecidos do susto e do choque, voltámos para casa dos meus sogros, não sem antes termos apanhado outra chuvada inacreditável em cima de nós.  E assim correu o pior dia de sempre desde há muito tempo.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

15 de Abril - Dia 1

Hoje começaram oficialmente as obras. Apesar de ainda não termos feito a escritura, o meu sogro deu-nos algum dinheiro para começarmos as obras. Isto porque os meninos do BES (devido a uma enorme incompetencia de uma senhora que lá está) nos disseram só agora que tinhamos de avançar com as obras antes de nos darem a 1ª tranche. Por acaso o meu sogro safou-nos porque se não estavamos literalmente lixados.

No fim de semana fomos lá ver o que já tinham feito. Para nosso total espanto, tinham apenas colocado meia duzia de andaimes no chão e um bidão. Estamos feitos. Foi um mau começo. Temos 2 meses para fazer as obras e no fim do mês não temos para onde ir.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Quem espera... desespera

Esperar tem sido o meu lema, faz 1 mês, quase 5 semanas inteirinhas... Há praticamente 5 semanas pedi um empréstimo para fazer obras na minha casa da Aroeira que será supostamente a nossa nova casa de familia, uma vez que conseguimos finalmente vender a nossa casa. A venda da nossa casa foi dificil. Depois de muito negociar lá fizemos um contrato promessa compra e venda que irá ser efectivado daqui a 3 anos. Até lá, os compradores vão dar-nos um sinal mensal em contrapartida de poderem usar a casa desde 1 de Maio. Até aqui tudo bem. Tudo bem, uma ova. É que para podermos ir para a Aroeira precisamos mesmo de fazer obras... e umas grandes obras. Demos um prazo de 2 meses para a conclusao da obra, pedimos orçamentos e aventuramo-nos no banco com o contrato compra e venda na mao. Se eu achava que o contrato ia ajudar imenso na concessão do empréstimo, não podia estar mais enganada. Para o banco, daqui a 3 anos os compradores podem desistir da compra... esqueceram-se que também pode cair um raio na cabeça deles e irem desta para melhor. Com os e se... e se... e se... o empréstimo veio para trás umas 3 vezes, tive de pôr fiadores, mais fiadores, e mais o raio que o parta para ter a aprovação comercial. Quase 4 semanas depois veio a desejada aprovação.... Ahhhhhhhhhhhhhh espera... agora falta a avaliaçao da casa. Temos de chamar o avaliador... é amanhã. Não afinal é depois de amanhã... ah espera é que afinal conta 2 dias só a partir do 2º dia em que inseriram os dados... ainda pode ser depois de depois de depois de amanhã. 5 dias depois é feita a avaliação. O avaliador diz, ainda hoje insiro os dados no banco. Fixe pensamos nós... uma ova... passa um dia, dois dias, ao terceiro dia vem finalmente a resposta...a avaliação correu bem mas o banco acha que o valor das obras em causa é X em vez de Y... Excusado será dizer que X muito menor que Y. Que fazer? Uma reclamação ora pois. Reclamação feita, em modo de implorando por favor concendam o Y porque se não não conseguimos fazer as obras, e esperamos... novamente. Mais um dia, outro. É hoje, ao final do dia, afinal ainda não é hoje, pode ser que seja amanhã. E estamos nisto há 5 semanas. Já tenho calos nos ouvidos e a minha gerente de conta já deve ter medo de atender o telefone... ainda estou eu a dizer o Bom dia, já ela me diz... Bom dia Rita como está... não tenho ainda nada para si.

E não nos resta outra vida se não esperar... pode ser que seja amanhã.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Declarações delirantes de Paulo Futre



Por favor... não dêm mais branca a esse senhor... que vergonha... e o Dias Ferreira... deve-se ter arrependido tanto...

Charters... resmas de chineses... 400...500.... comissões de hoteis, restaurantes, museus, etc, etc, etc... e elefantes a voar não?

quarta-feira, 23 de março de 2011

Para ti Patrick



Não é possivel que você suporte a barra
De olhar nos olhos do que morre em suas mãos
E ver no mar se debater o sofrimento
E até sentir-se um vencedor neste momento
Não é possivel que no fundo do seu peito
Seu coração não tenha lágrimas guardadas
Pra derramar sobre o vermelho derramado
No azul das águas que voce deixou manchadas
Seus netos vão te perguntar em poucos anos
Pelas baleias que cruzavam oceanos
Que eles viram em velhos livros
Ou nos filmes dos arquivos
Dos programas vespertinos de televisão
O gosto amargo do silêncio em sua boca
Vai te levar de volta ao mar e à fúria louca
De uma cauda exposta aos ventos
Em seus últimos momentos
Relembrada num troféu em forma de arpão
Como é possível que voce tenha coragem
De não deixar nascer a vida que se faz
Em outra vida que sem ter lugar seguro
Te pede a chance de existência no futuro
Mudar seu rumo e procurar seus sentimentos
Vai te fazer um verdadeiro vencedor
Ainda é tempo de ouvir a voz dos ventos
Numa canção que fala muito mais de amor
Seus netos vão te perguntar em poucos anos
Pelas baleias que cruzavam oceanos
Que eles viram em velhos livros
Ou nos filmes dos arquivos
Dos programas vespertinos de televisão
O gosto amargo do silêncio em sua boca
Vai te levar de volta ao mar e à furia louca
De uma cauda exposta aos ventos
Em seus últimos momentos
Relembrada num troféu em forma de arpão
Não é possivel que você suporte a barra


Para sempre na nossa memória...

segunda-feira, 21 de março de 2011

Estou triste...

Nem tenho bem palavras para descrever o que sinto. Ontem a minha mãe ligou-me como todos os dias mas dá-me uma noticia bombástica. "O Patrick era o ex marido da Inês não era? Operador de Câmara na TVI?" Respondi que sim. Eis que ela me dá a noticia. "Acabaram de dar a noticia que o Patrick morreu." Caiu-me tudo ao chão. Sentei-me no sofá e senti o corpo todo a tremer. Como???? Causas da morte por apurar. Passou-me tudo pela cabeça, ataque de coração, acidente de carro, tudo menos o que efectivamente aconteceu. Liguei para o meu amigo Dario que eu sabia que se continuava a dar bastante bem com o Patrick e estava com ele quase todos os fins de semana e eis que o Dario me dá a pior noticia que podia ouvir.

Por mais que dê voltas à cabeça não consigo perceber o que o motivou a cometer tal acto.

O Patrick tinha uma vida que muitos podiam ambicionar. Fazia profissionalmente o que queria e gostava, nunca teve problemas financeiros, tinha imensos amigos, alguns bons amigos mesmo, tinha uma familia unida, tinha pessoas de todo o lado que gostavam dele. Mesmo quem não o conhecia bem, era quase impossivel não simpatizar com o Patrick. Era uma pessoa divertida, brincalhona, culta. Podia-se falar com ele sobre quase tudo.E era amigo. A ultima vez que o vi, foi no E Leclerc mesmo ao pé da nossa casa. Estava todo pomposo de fatinho pois ia para a festa de Natal da TVI. Nunca pensei que fosse a ultima vez que o fosse ver.

O Patrick fez parte da minha vida durante muito tempo enquanto era namorado e depois marido da Inês. Foram mais de 10 anos de convivencia. Passavamos férias juntos, passagens de ano, fins de semana. Tenho momentos passados com ele, registados em fotografia que me dá vontade de rir só de olhar para as fotos. Apesar de termos deixado de conviver há 5 anos, não quer dizer que tivessemos deixado de ser amigos... pessoas que fizeram parte na nossa vida durante tanto tempo não caem no esquecimento de um momento para o outro.

Amanhã vou estar lá no funeral para prestar a ultima homenagem ao meu amigo. Eu e mais todos os amigos dele que num momento ou outro das nossas vidas tiveram o prazer de ter conhecido o Patrick. Será que ele não sabia a quantidade de amigos que tinha? A quantidade de amigos que se preocupavam com ele? Como é possivel a cabeça dele estar tao confusa ao ponto de ter cometido tamanha atrocidade!

Patrick, estejas onde estiveres, encontra a paz e olha por nós. Não deixes ninguém, nunca, fazer o mesmo disparate que fizeste. Até um dia.

Este post é uma homenagem a ele, por ter alegrado tantos dias a minha vida.

Não é por estares ausente que nos esquecemos de ti. Nunca.

sexta-feira, 11 de março de 2011

Depois de um interregno

Pois é... a brincar a brincar, este cantinho acabou por ficar meio esquecido... são tantas as coisas que tenho de fazer que muito francamente, falta-me o tempo e (sim) paciencia para escrever. O meu projecto fotográfico está andar bem, já com os primeiros trabalhos feitos e pelos vistos com bastante sucesso. A casa está vendida... foi dificil mas lá conseguimos fazer um contrato promessa compra e venda. Depois de muitas negociações e retrocessos, conseguimos que o contrato de aluguer passasse a contrato promessa compra e venda com a perspectiva de daqui a 3 anos efectivarem a compra, como se fosse um contrato com opçao de compra...sem o ser. Complicado mas enfim... foi o que se conseguiu e tendo em conta a conjuntura económica acredito que até nem foi mau negocio de todo. Agora falta o resto, ou seja... tudo o resto. Aprovação de um credito para as obras na nossa casa da Costa, obras que não podem durar mais de mes e meio se não corremos o risco de ter de ir viver para debaixo da pomte, etc etc... E ainda a procissão vai no adro como se costuma dizer que isto de fazer obras não é pera doce.

E assim, a juntar ao facto do meu trabalhinho remunerado também estar a doer, sobra muito pouco tempo mesmo para isto... para a escrita.

E assim vamos lutando. Vale os meus pipocas estarem cada vez mais lindos e crescidos... com alguns probleminhas proprios da sua gemelaridade mas nada que não se resolva.

Até breve.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Mudar de Vida

É um pensamento que ultimamente não tem feito outra coisa se não assolaparme a cabeça... mudar de vida... mudar de vida... parece um disco riscado... e porquê? Porque finalmente pus mãos à obra num dos projectos que estava enfiado na gaveta à espera que me picasse a mosca. Porque agora que o tirei da gaveta estou com a cabeça a fevilhar de ideias e falta-me o tempo e dedicação necessária pois o meu 1º trabalho remunerado continua a estar primeiro. Porque tenho cá um feeling que a partir do momento em que eu puser o pé no acelerador, ninguém me vai parar e vou finalmente fazer o que gosto. E com isto tudo ando assim... cansada... feliz... excitada... triste... um turbilhão de sentimentos.

Dar o primeiro passo é dificil... e é dar um passo atrás do outro, simplesmente porque a vida não está para brincadeiras e não nos podemos atirar de cabeça... Ainda por cima quando um de nós já o fez ainda não há muito tempo e a coisa ainda não está propriamente a dar frutos.

Mas estou entusiasmada com isto... muito... desejosa de por as mãos na maquina e desatar a clicar e ver os resultados dos cliques... De certeza que ainda há muita gente que não acredita em mim e no meu potencial mas vão ver... eu acredito... tenho um friozinho na barriga e um aperto no coração que me diz... e se afinal as tuas fotos não forem nada de especial... oh pah.... pessoa mais critica que eu não há acreditem... e tudo vou fazer para afastar esse pensamento mau...

A par disso está a venda da nossa casa... Oh mãe santissima que está dificil como tudo de vender... e nós a querermos e a precisarmos mais que nunca de nos libertarmos desse mal... Ontem até me passou uma ideia meia maluca pela cabeça que o meu xuxu tratou logo de a deitar por terra... mas... não esqueci... bom... vamos ter esperança mais um, dois meses... depois, vamos ver se a minha ideia maluca não vai ser mesmo o que nos vai salvar...

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Chegou a hora...

Já não aguentava mais... eis que chegou a hora de divulgar o meu projecto.

Ora pois, vejam... www.docesolhares.com

O que é isto?

Resumidamente é o meu projecto fotográfico que agora chega às mãos de quem o quiser vir testar.As bases estão criadas e agora é só clicar.

Neste momento, como podem verificar, o site ainda precisa de ser alimentado. Estou à procura portanto de interessados em serem meus modelos por 1 hora. Em troca da vossa participação no meu portfolio, entregarei um CD com todas as fotos tiradas e trabalhadas. Preciso muito de pré-mamãs e bebés (mesmo bebés). Familias preciso de mais uma ou duas pelo menos.

As fotos são tiradas num ambiente à vossa escolha. Neste momento e porque é para o portfolio, tenho preferência na zona de Cascais e arredores.

Espero que gostem... agradeço que divulguem nos vossos contactos e que se façam fãs da página do facebook no mesmo nome.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

O meu novo projecto

Estou desejosa, desejosa de o poder divulgar...

Fica aqui um cheirinho do que vai acontecer brevemente para quem tiver paciencia de ler:


http://doces-olhares.blogspot.com/

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Conversas de café

Às vezes dou por mim a pensar no antigamente. Não por pena, nostalgia ou saudades, mas apenas porque de repente vem-me à memória o quão diferente está a minha vida. Há coisas que gostava de ter oportunidade de voltar a fazer, porque deixaram boas memórias, porque me faziam bem, outras nem por isso. Uma das coisas que tenho saudades é das noites de fim de semana em que ia beber café com o meu grupo de amigos. Sempre no mesmo sítio. Tinhamos conversas futeis e inuteis mas onde riamos à gargalhada. Chamavamos de descompersão da semana. Não se aprendia nada mas saiamos do café mais leves e bem dispostos. Há muito que deixei essas noites de café. O café do costume fechou. O meu grupo de amigos separou-se e dispersou. Ainda há uns resistentes que me dizem continuar sempre que possivel a fazer as meettings de fim de semana, mas já não é a mesma coisa. Para mim nunca mais será a mesma coisa. É algo que tenho uma certa pena. É algo que gostava de poder retomar mesmo levando as crianças, porque não? Talvez com outro grupo de amigos. Noutro lugar. A vida muda, os lugares mudam... os amigos... não deviam mudar, mas também mudam. Pelo menos no meu caso. É mau? É pena... por um lado, por outro. Estou aberta a novas amizades e às vezes as novas ou mais recentes podem ser melhores do que as mais antigas. Pelo menos, serão mais maduras.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Perspectivas para 2011

Todos os inicios de ano, faço uma retrospectiva do que fiz, gostava de ter feito e quero vir a fazer, nem que seja mentalmente. Este ano não foi excepção. Este ano 2011 vai trazer muitas mudanças na nossa vida. Pelo menos estamos a contar com essas mudanças. Não sabemos ainda se vai ser para melhor. Achamos que sim, se não, não teriamos arriscado nem estariamos a lutar para mudar.

O meu xuxu já tomou o primeiro passo e no final de 2010 demitiu-se para formar uma empresa dele. Em Janeiro, assinou o seu 1º contrato. Nada mau para uma empresa que começou em Novembro mas ainda assim, aquém do desejável. Apenas 1 é pouco. É... quase nada...Mas há boas perspectivas que é o que interessa, ou então somos nós que estamos bastante optimistas. Para quem ainda não conhece, deixo aqui o site da empresa dele: www.majortwins.com. Não me perguntem exactamente o que ele faz... Não sei... a sério... não sei... não sei explicar. Nada como ver o site mesmo pois está lá tudo explicadinho. Os futuros clientes dele são Hoteis independentes que queiram INOVAR! É a palavra de ordem. Inovar e Maximizar Resultados. É assim...

Estamos com a nossa casa à venda há mais de um ano. Esteve na Remax imenso tempo. Desistimos. Esteve em várias agências. Já teve um preço altamente elevado, justo na nossa opinião mas, confesso que elevado. Descemos drásticamente. Neste momento está quase à venda por meia tutela. Só não é meia tutela porque a casa é boa e convenhamos... para nós acreditem, o preço é baixo porque a casa vale muito, muito mais. E porque queremos vender? Porque faz parte de mais uma mudança nossa. Queremos ir para a Costa. Queremos fazer obras na minha casa de familia e ir para lá viver. Achamos que é uma melhoria de qualidade de vida incrivel pois ficaremos com uma prestação muito mais baixa, teremos uma vivenda com piscina e ar puro todos os dias, de preferencia sem vento, coisa que na nossa casa actual, abunda!

Desvantagens desta mudança só mesmo para mim, que continuo no meu trabalhinho actual ,sossegadita e que a verificar-se vou passar a ter que ter mais atenção às noticias do transito na ponte.

Perspectivas para mim. Bom... Há muitos projectos... Muitos mesmo. Se são concretizáveis ou não, a ver vamos. Quero publicar o meu livro este ano. Eu sei que já não depende de mim mas vou chatear a editora todos os dias se for preciso até o ver cá fora. Quero voltar a dar formação. Tenho um projecto de formação muito próprio que gostava muito de o pôr a andar. Mas não é facil. Dá trabalho e como tudo na vida é preciso sorte. Pode ser a minha rampa de lançamento para mudar de vida. Quem sabe? E... brevemente, vou lançar-me num projecto fotográfico. Ando a trabalhar afincadamente para que quando finalmente o publicitar seja o mais profissional possivel. A par disso voltei à minha formação antiga, pois como a empresa do meu xuxu necessitava de um TOC, eis que voltei a exercer o cargo com toda a burocracia que isto acarreta.  Como uma amiga minha diz: " Oh Rita, tu daqui a pouco tens 4 empregos e só recebes de um". Eu apenas a corrigi, não são 4, são 5 (o actual, escritora, fotografa, formadora e TOC)!!!! cof cof cof

Portanto, projectos não faltam... alguma coisa há-de dar. 2011 vai definitivamente ser um ano diferente. Porque se não for, alguma coisa correu mesmo muito mal!